O manguito rotador é formado por quatro músculos que mantém o úmero (osso do braço) encaixado na escápula, ajudando a manter o ombro estável. São eles: supraespinal, subescapular, infraespinal e redondo menor que, atuando em conjunto com o potente músculo deltóide localizado na camada mais externa do ombro, tornam-se os principais responsáveis pelos movimentos de circundação, rotações e abdução (elevação).

Lesão do manguito rotador, em outras palavras, ocorre quando há uma distensão ou ruptura dos tendões. Processos inflamatórios e irritação crônica de um ou mais tendões do manguito rotador podem causar enfraquecimento de algumas áreas no mesmo, podendo evoluir para rompimento das fibras. Nesses casos, as rupturas do manguito rotador podem ser parciais ou completas.

A gravidade da lesão depende da quantidade de fibras (tamanho da lesão) e quais tendões estão envolvidos. O tendão mais acometido é o supraespinal, mas também pode estar associado a outros tendões (lesões grandes ou extensas). Além de dor frequente, as rupturas geralmente estão associadas à perda de força principalmente nos movimentos de levantar o braço (abdução ou elevação).

Causas

As rupturas do manguito rotador são mais frequentes na faixa etária mais elevada, quando já há um desgaste normal do tecido (processo degenerativo) diminuindo sua resistência. Atualmente considera-se este o principal fator associado às lesões do manguito rotador. Apesar disto, podem ocorrer em faixas etárias mais jovens.

Ortopedista especialista em Ruptura ou lesão do manguito rotador também ressaltam outros fatores comuns como, por exemplo, a ocorrência de trauma no ombro (acidentes, quedas de nível, etc.), problemas vasculares e tendinites crônicas. 

Diagnóstico 

Situações de dor e perda de força persistentes no ombro são sugestivas de lesão no manguito rotador e devem sempre ser investigadas e tratadas corretamente por um ortopedista especialista em ruptura ou lesão do manguito rotador, pois não cicatrizam.

Os exames mais realizados são radiografia – para eliminar a existência de outras doenças – e ressonância magnética. No entanto, outros procedimentos podem auxiliar neste diagnóstico.

Tratamento 

Como mencionado anteriormente, as lesões do manguito rotador não cicatrizam sozinhas, por isso é fundamental o acompanhamento com um ortopedista especialista em ruptura ou lesão do manguito rotador.

O tratamento pode ser não-cirúrgico – por meio de medicação, repouso e reabilitação – ou cirúrgico, dependendo da gravidade da lesão ou ruptura.

O Dr. Carlos H. Ramos é ortopedista especialista em ombro e cotovelo com 20 anos de experiência na área. Conheça os locais de atendimento e agende a sua consulta!